Mercado para tecnologias em EGov


PorRafael_Arns- Postado em 06 dezembro 2011

 

Em aula recente de Governo Eletrônico foram discutidos diversos modelos de negócios. A princípio, buscou-se de maneira sucinta analisar modelos que foram trazidos do comércio via web entre empresas privadas e empresas privadas, e empresas privadas e consumidores, para, posteriormente,  tentar uma aproximação de tais modelos com o universo de atividades do governo. 

Havendo um objetivo de agregar valor, ou de ao menos entregar algo de valor ao consumidor se abre espaço para utilização de modelos de negócio, seja no mundo corporativo privado, seja em ONGs, seja no poder público. Porém, uma percepção resiste, projetos que possibilitem ao governo a captação de recursos têm maiores chances de serem aceitos, facilitando o caminho das empresas que desenvolvem tecnologias com este viés; enquanto que, de outro lado, empresas que desenvolvem tecnologias que não gerem recursos financeiros ao governo terão maior dificuldade em realizar suas vendas ao setor público. 

Não obstante, existe como espaço de mercado para estes produtos, pois, como lembra Denhart, um dos poderes governamentais é o voto, ou, a intenção de permanência no poder por meio da boa avaliação civil. Assim, por este viés, seria possível a estruturação de modelos de negócio.