Trilogia Bitcoin - parte 1


PorLahis Kurtz- Postado em 03 setembro 2016

Não é tão complicado quanto parece. Pelo menos o básico não é. É o que podemos dizer sobre Bitcoin depois de (muitas) perguntas e pesquisa por respostas. Mas é o tipo do assunto que, quanto mais se sabe, mais surgem questões.

É por isso que vamos começar com um resumo e terminar com perguntas!

 

Postagens criadas a partir de hangout com:

Lahis P. Kurtz, Mayumi Arimura, Thábata Clezar de Almeida, Victor A. de Menezes

 

Fonte da imagem

 

Coin antes do bit

 

Claro que o termo “coin” remete a dinheiro, moeda. O significado literal de “coin” em inglês é este último, aliás. Vamos deixar o “bit” esperando (mas não por muito tempo, só uma pausa pra respirar) enquanto adentramos nessa ideia de moeda.

Pense em como seria simples se eu sempre tivesse exatamente o que você quer e você sempre tivesse exatamente o que eu quero, e isso suprisse todas as nossas necessidades de sobrevivência. A vida seria muito monótona fácil.

Como não é assim (viva!), inventamos algo que serve para que eu possa pegar algo que você tem e, em vez de oferecer em troca diretamente algo que tenho, prometer que você receberá, no futuro, algo em troca disso. Talvez de outro membro da sociedade. Você terá de confiar que minha promessa é válida.

Essa promessa, de que você pode conseguir bens ou serviços de alguém no futuro, é o que costumamos chamar de dinheiro. Trocamos ele por bens e serviços ou oferecemos bens e serviços em troca dele.

Essa confiança em minha promessa pode, ainda, ganhar um “fiador”, um centro regulamentador que ajuda a equilibrar o sistema: alguém que certifica que outros aceitarão essa promessa como válida, que detém o controle sobre os símbolos autênticos do dinheiro.

É o que acontece nos Estados, que adotam uma moeda-padrão, a qual é usada por todos os cidadãos. Portanto, confia-se que será aceita em larga escala ali e terá valor perante outros Estados (sendo cambiável). Quando pego uma cédula de Real, Dólar ou Euro na mão, não interessa de quem ela veio, eu sei que posso usá-la para pagar por algo que eu queira, porque ela é válida em determinado local.

Nessa concepção, o Estado tem certo controle sobre esse valor da moeda e do poder aquisitivo dela, sendo a escassez manipulável (via emissão de moeda) e a confiança atrelada a fatores políticos (o governo pode impor o uso da moeda e interferir direta ou indiretamente na confiança depositada nela para transações econômicas).

 

O que acontece quando adicionamos o “bit”? Bitcoin é…

 

Para começo de conversa, o Bitcoin não é só uma promessa de que você pode conseguir algo no futuro. Ele não é tão-somente uma moeda.

Bitcoin é um protocolo que permite transferir informação digital de um usuário A a um usuário B. Tudo isso é intermediado por programas de computador interconectados peer-to-peer. Sem Estado, sem um terceiro centralizador, sem “um fiador”. Sem bancos (mais sobre isso em postagens futuras!). O livro-razão de Bitcoins está na nuvem de cada um que tem o aplicativo wallet (ou “carteira”) instalado.

O Bitcoin desafia o aspecto regulamentador do Estado sobre a economia: o controle de autenticidade e de valor é dividido entre todos os usuários da comunidade Bitcoin. Enquanto alguém aceitar Bitcoin em troca de algo, Bitcoin tem valor. Na mais pura ideia do liberalismo econômico: quanto mais gente quiser usá-lo, mais valor ele tem.

Outro ponto é que Bitcoin não é forjável, não posso emitir Bitcoins “do nada”. Não existe um Estado ou uma autoridade central que diga onde o Bitcoin vale e quanto dele vai estar em circulação. Não há como fazer isso com Bitcoin.

Sua base é matemática e computacional - minerar Bitcoins é resolver problemas matemáticos de alta dificuldade por meio de computação (o minerador só precisa fazer download do aplicativo que faz isso, fique entendido que a pessoa em si só fornece o poder computacional, sem precisar programar).

Quando sua máquina resolve os problemas apresentados, você é premiado com uma quantidade X de Bitcoins (que aumenta com o tempo, assim como a dificuldade dos problemas matemáticos). Sua escassez natural o aproxima de outras formas de moeda, nesse sentido. Ainda, seu algoritmo é programado para se tornar mais difícil de encontrar Bitcoins à medida que mais deles são minerados - os problemas matemáticos ficam cada vez mais difíceis, proporcionalmente ao poder computacional utilizado. Só existirão 21 milhões de Bitcoins no mundo.

 

Voltando ao lado prático: quem utiliza Bitcoin tem um aplicativo (a carteira ou wallet) instalado em um dispositivo conectado à internet, e realiza as transações por meio dele.

Ok, mas no mundo digital eu posso transferir algo para alguém criando uma cópia. Muito fácil: se tenho uma foto do último evento de e-gov e envio aos meus colegas, agora eles todos têm essa foto e eu também. A foto não saiu do meu computador para ir parar no deles.

Como impedir que isso aconteça com o Bitcoin que eu (hipoteticamente) tenho e quero que todos os meus amigos também tenham? Para garantir a segurança dessas transferências, impedindo que sejam feitas transações em duplicidade, o programa do Bitcoin utiliza um método de criptografia praticamente incorruptível, chamado blockchain (“cadeia de blocos”).

 

Próximos capítulos:

Como funciona a criptografia das Bitcoins (blockchain, chave privada e pública)?

É possível burlar a blockchain?

Destrinchamos essas perguntas na parte 2 desta trilogia, que sairá na semana que vem.

 

Fontes:

Vídeo do canal Nerdologia sobre dinheiro

https://www.youtube.com/watch?v=5vpixQc3b2M

Matéria escrita em português - Tudo sobre o Bitcoin

http://gizmodo.uol.com.br/tudo-sobre-o-bitcoin/

Podcast com representante da Fundação Bitcoin Brasil explicando o que é, como funciona a transação, criptografia e blockchain

http://multimidia.ufrgs.br/conteudo/frontdaciencia/Fronteiras_da_Ciencia-T06E02-Bitcoin1-09.03.2015.mp3

Podcast em inglês sobre Bitcoin e suas curiosidades econômicas

http://freakonomics.com/podcast/why-everybody-who-doesnt-hate-bitcoin-loves-it-a-new-freakonomics-radio-podcast/

Post em português sobre Bitcoin

http://projetodraft.com/bitcoins-voce-ainda-nem-sabe-direito-com-usar-e-ela-ja-e-uma-das-moedas-mais-procuradas-do-mundo/

Artigo em inglês sobre Bitcoin - de antes dele ser lançado ao público

http://www.cryptovest.co.uk/resources/Bitcoin%20paper%20Original.pdf

What are Bitcoins

http://www.moneycrashers.com/what-are-bitcoins/

Pros & Cons of Biometrics and a Cashless Society

http://www.moneycrashers.com/biometrics-cashless-society/

A conversa sobre o assunto com os colegas rendeu tanto que vai ser material para 3 posts. Fiquem atentos!