Protestantismo, Modernização e Estado Leigo: Luteranos confessionais entre a ortodoxia e a laicidade nos inícios da era Vargas


Porcarlos2017- Postado em 20 novembro 2017

Autores: 
Arnaldo Érico Huff Júnior

O protestantismo é regularmente identificado a processos de modernização, quer seja como padrão e controle disciplinadores de condutas, quer como um passo geral rumo à livre escolha religiosa e, conseqüentemente, à individuação moderna. Tal pré-concepção pode, todavia, embaçar a vista de quem observa algumas manifestações protestantes, eminentemente aquelas ortodoxas ou fundamentalistas. Pretendo aqui, a partir da análise de um episódio que envolveu, ao redor da discussão sobre ensino religioso e ensino laico nos anos 1930, o Sínodo Evangélico Luterano do Brasil e a Coligação Pró-Estado Leigo, problematizar tais ligações naturalizadas entre protestantismo e modernização. A estrutura ortodoxa que permeava os discursos e práticas daqueles protestantes luteranos, ainda que os tenha levado a sustentar a separação entre Igreja e Estado, diferia em muito do que hoje se possa compreender como modernização ou processos de individuação. Em se falando em protestantismo e modernização, se faz necessário um olhar complexo e contextualizado por sobre um fenômeno que é plural. Disponível em http://www.pucsp.br/rever/rv1_2008/t_huff.pdf

AnexoTamanho
t_huff_1.pdf148.57 KB